Alba, 1929

vim ao lugar
da dança
dos braços de mármore
coralinos e impolutos

e dos pés de pedra
brancos e incorruptos

idolatrar por um instante
sob o ceú plano e frio
a casa do arquiteto universal

ver a dança
que nutre e sustenta
as coisas habitadas pela vida

e o altar líquido
que nunca saberá
do nascimento
e da morte.

13. 01. 2019.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s