nihilum

sem mãe
sem Deus
sem estar certo sequer
de estar vivo
– percebeu –
prova já de si inequívoca
que o nada (não) existe
que, se nada era,
e ao nada estava condenado
podia ser tudo afinal
e renascer
se lhe apetecesse
e quantas vezes quisesse.

[ ~ 27. nov. 2018. ~]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s