the big picture

não me esqueço dos teus modos de menina traquinas, como se brincasses sozinha pondo as bonecas a falar entre si e fazendo as falas, os gestos, as entoações seguidas de uma cantilena. dentro do teu mundo sem quereres parecer adulta, talvez evitando namoriscar, a tua forma desinteressada de lidares com os rapazes. como falavas na terceira pessoa, como se não fosses tu entre as tuas amigas e estivesses mesmo a brincar dentro de uma tarde qualquer da tua infância. nem da tua figura esguia, mais franzina que delicada, um corpo a meio de ser mulher. o cabelo curto, a franjinha, os olhos que falavam tanto como as tuas mãos.

e eu ali tão perdido como sempre andei à procura das palavras certas e só me saíam as erradas. dizendo sem saber o que pensar, enrolando as mãos na areia:

– Lena, deixa-me falar!

e as outras respondiam:

– não mandes a menina calar!

[ ~ 21. set. 2018. ~ ]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s