coeficiente de regressão

porque clamas por céu azul
tu, que roubaste o fogo às sacerdotisas do templo,
o fogo sagrado que acendes e apagas em transgressão?

porque clamas pela noite límpida
quando incendeias a manhã voltado para a cal
e os teus olhos se perdem pelo chão?

vi as aves que se debatiam nos grossos bagos da chuva
o vento derrubava-lhes as asas, a serenidade do vôo

não te salvarás porque aprendeste a fazer uma casa
e a alimentar uma chama sob um tecto

serás sempre o animal ferido que caiu no fosso
que divide a transparência das estrelas

e fere as patas nos gumes dos seixos
que não tiveram tempo para se arredondar

a gema quebrada na íris de uma fera.

[ ~ 21 abr. 2018 ~ ]

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s