vontade

aprendi, aos poucos, com a cadência natural do tempo que passa devagar
mas que não teme nem serve a morte
como a estação do ano que não se apressa
o inverno que estende uma doce chuva até à primavera
a primavera que entra verão dentro amansando a canícula
o verão que suaviza as manhãs gélidas de novembro
que o amor é um ato de reflexão, uma vontade, uma predisposição
não um acaso, um acidente, um bilhete de lotaria que se pode facilmente perder
por isso Penélope não se assoberbou
por isso Antígona seguiu com inteligência o caminho da desobediência
por isso Eco, até hoje, nunca desistiu de Narciso.

[ ~ 30 mar. 2018 ~ ]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s